Idade Maior

O guia da viuvez

, 2 comentários

Como superar a dor? Como preencher o vazio de tantos anos partilhados? Conheça as diferentes etapas do processo de luto.


Perder alguém que nos é próximo – seja de forma inesperada ou previsível – é sempre complicado. E torna-se ainda mais quando essa pessoa é a nossa cara-metade. Na verdade, a dor causada pela perda é uma das mais profundas que o ser humano pode sentir.

A transição de estatuto de marido (ou mulher) para viúvo(a) é dolorosa, unipessoal e nem sempre serena. Ao mesmo tempo que tenta ajustar-se à nova realidade, é-lhe também pedido que tome decisões e resolva questões urgentes – formalidades –, tornando o trauma ainda mais intenso.

O processo de luto desenrola-se por etapas, fases que devem ser seguidas para que a dor e o trauma possam ser ultrapassados. E embora possam parecer simples, na verdade, são extremamente importantes e fazem toda a diferença.

Chore!
Tanto os homens como as mulheres devem chorar. Evitar a confrontação e acumular os sentimentos, preenchendo o dia-a-dia com um conjunto frenético de atividades, não fará desaparecer a dor, apenas adiará o inevitável. A agonia está lá e manter-se-á  até que a confronte.

Uma panóplia de emoções
Tenha consciência de que poderá sentir uma panóplia de emoções. A sua reação à morte pode incluir diferentes e confusos tipos de sentimentos tais como: choque, raiva, dor, apatia, nostalgia, entre outros.

Superar a dor
Um dos mitos sobre o luto é que o mesmo tem um prazo limite. Dizem que quando se espera tempo suficiente acaba por deixar de doer. Na realidade, não é bem assim. É preciso trabalhar para que deixe de doer, não basta esperar. O luto é uma fase natural e pessoal da vida que não deve, nem pode ser apressada e que varia de pessoa para pessoa.

Arranjar força para agir
Como recém-viúvo terá de tomar decisões legais e financeiras. Embora esteja emocionalmente incapaz de resolver problemas, sobretudo questões ligadas a dinheiro, existem certos assuntos que requerem a sua atenção imediata. Por isso, faça um esforço e tente arranjar forças para agir. Se puder adiar decisões, faça-o.

2 comentários
  • maria das graças costa de lima
    16 de October
    AMEI.
  • Maria
    10 de November
    Também eu estou na situação de viúva. Também eu passei pela fase dos medos. Também eu senti a solidão a meu lado. Agora,já passaram alguns anos, estou a atravessar a fase de "fazer comida para què?". Também vou ultrapassar este momento. Mas gostava de deixar aqui, neste espaço, um conselho: O Tempo ajuda a resolver tudo isto. O sofrimento também se esbate.