Idade Maior

As cinco maiores burlas que lhe podem acontecer ao reparar a sua casa (3.ª parte)

, 1 comentários

Siga os conselhos de quem percebe do assunto e evite ser enganado por um técnico de desinfestação.


O Ataque do Caruncho

A Burla. Pode ser facilmente enganado ao tentar eliminar o caruncho da sua casa. Um técnico sem formação poderá recomendar-lhe um tratamento inadequado, com um valor elevado e sem qualquer garantia que o caruncho desapareça. O mais importante é averiguar os conhecimentos do técnico de desinfestação, sendo por isso aconselhável obter informações prévias sobre o mesmo.

A Realidade. Os insectos xilófagos, vulgarmente conhecidos por “caruncho”, pertencem à ordem Coleóptera. Dentro desta ordem existem diversos grupos e dentro destes, inúmeras espécies. Em Portugal são três os grupos que encontramos com maior frequência: os Líctidus, os Anóbidos e os Cerambícidos, sendo a degradação causada por este último a mais rápida e grave.

“O barulho emitido pelas larvas quando estão a roer a madeira pode facilitar o reconhecimento do ataque destes insectos e a sua localização no interior da madeira. Os xilófagos sobrevivem e multiplicam-se com muita facilidade, bastando que encontrem os nutrientes de que necessitam e as condições de temperatura e humidade favoráveis ao seu desenvolvimento. É por isso que a maior parte das pessoas só se apercebe da existência desta praga quando visualiza o material resultante da saída dos insectos adultos, o serrim”, revela José Nunes, director de uma empresa de desinfestação e fumigação.

O caruncho provoca uma perda da resistência mecânica dos materiais lenhosos e nos elementos decorativos pode levar à degradação parcial ou à perda total da peça. Caso se trate de elementos estruturais, frequentemente localizados em zonas de difícil acesso, a actividade prolongada destes insectos pode provocar o colapso da estrutura. Esta situação ocorre com frequência nos elementos de sustentação de coberturas e pavimentos de casas antigas, obrigando, por vezes, à sua total substituição.

“Actualmente, o combate a estas pragas, em peças móveis, é feito por tratamento em câmara de frio ou por anóxia. No primeiro caso coloca-se a peça na câmara por um período de 48 horas. Este tratamento pode custar aproximadamente 150€/m3. No tratamento por anóxia, os móveis são colocados em bolsas plásticas, das quais se retira o oxigénio e se introduz um gás como dióxido de carbono ou nitrogénio, e pode custar entre 500€ a 800€/m3, dependendo de certas condicionantes”, constata José Nunes.

No que respeita ao tratamento de elementos estruturais de grande secção, recorre-se à utilização de válvulas, através das quais se injecta um produto desinfestante sob pressão. Os produtos mais recentes, em forma de gel, são menos nefastos para o utilizador e para o ambiente, apresentando também uma maior capacidade de penetração no material lenhoso, em oposição aos tradicionais produtos líquidos.

A degradação em documentos gráficos pode ser provocada por certas espécies de caruncho, que se alimentam de algumas substâncias existentes nos livros. Por isso esteja atento à presença destes insectos em sua casa, especialmente na Primavera.

O diagnóstico do estado sanitário quanto ao ataque de insecto xilófago de ciclo larvar pode ser realizado com recurso a armadilhas de luz e feromonas, sempre monitorizado por um técnico especializado. Pode recorrer-se ainda a aparelhos de detecção acústica.

Elsa Garcia - Selecções do Reader´s Digest

Na próxima semana conheça mais burlas que lhe podem acontecer ao reparar a sua casa.

Consulte também o site das Selecções do Reader's Digest

Leia ainda:

> As cinco maiores burlas que lhe podem acontecer ao reparar a sua casa (1.ª parte)

> As cinco maiores burlas que lhe podem acontecer ao reparar a sua casa (cont.)
1 comentários
  • luis nunes
    11 de March
    Ao ler o vosso artigo,reparei que se baseiam numa opinião de um srº josé nunes,que por acaso é director de uma empresa de desinfestação e fumigação,o que me parece um pouco estranho. Além disso gostaria que me explicassem o que entendem por tecnico especializado em desinfestações,quando na realidade não existem cursos de desinfestação homologados ca em portugal